O Medo Do Novo E A Relação Com A Inteligência Fear Of The New And The Relationship With Intelligence El Miedo A Lo Nuevo Y La Relación Con La Inteligencia

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.59801/sma.v4i1.231

Palabras clave:

intolerância à incerteza, medo do novo, ansiedade, inteligência

Resumen

O medo é um sentimento primitivo e observado desde os primórdios da humanidade. Relacionado ao novo, a incerteza, obtém-se o medo por falta de informações tangíveis relacionados a algo que acontecerá certamente, pois a vida é dinâmica, mas que não se sabe o que é ou o que acarretará. O medo do novo é acompanhado por ansiedade que causa reações fisiológicas. Porém, embora o futuro seja incerto, com base em memórias passadas o cérebro consegue detectar padrões e antecipar algumas situações. Isso é possível graças a habilidade executiva do cérebro, situado na região do lobo frontal. Com base em lógica, tomada de decisão, criatividade e outras características, uma pessoa com alto QI pode "prever" determinados movimentos futuros fazendo uma espécie de gestão de riscos e mudanças. A inteligência é determinante para lidar bem com o adverso e reduzir sentimentos e reações bioquímicas correspondentes. Nós estudamos como a inteligência é determinante para lidar bem com o desconhecido e como podemos evoluir habilidades cognitivas para ter maior previsibilidade. Com base nisso, desenvolvemos um estudo de revisão bibliográfica consultando repositórios conceituados e chegamos a conclusão positiva para a relação entre a inteligência e o medo do novo.

Citas

ADOLPHS, Ralph. The Biology of Fear. PubMed Central. 2013. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3595162/ . Acesso em: 13 dez. 2022.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. Tradução Maria Inês Corrêa Nascimento et al. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

AMERICAN PSYCHOLOGICAL ASSOCIATION. executive functions. APA Dictionary of Psychology. Washington, DC. Disponível em: https://dictionary.apa.org/executive-functions . Acesso em: 15 jul. 2023.

BARTELS, Meike et al. The five factor model of personality and intelligence: A twin study on the relationship between the two constructs. Personality and Individual Differences. 2012, p. 368-373. Disponível em:

https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0191886912000761 . Acesso em: 15 jul. 2023.

COPLAN, Jeremy et al. The Relationship between Intelligence and Anxiety: An Association with Subcortical White Matter Metabolism. Frontiers. 2012. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3269637/ . Acesso em: 15 jul. 2023.

CRISTOFORI, Irene; COHEN-ZIMERMAN, Shira; GRAFMAN, Jordan. Chapter 11 - Executive functions: Handbook of Clinical Neurology. Science Direct. 2019, p. 197-219. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/B9780128042816000112 . Acesso em: 15 jul. 2023.

KIM, M. Justin et al. Intolerance of Uncertainty Predicts Increased Striatal Volume. American Psychological Association. 2017. Disponível em:

https://www.apa.org/pubs/journals/releases/emo-emo0000331.pdf . Acesso em: 22 dez. 2022.

MAESTROVIRTUALE.COM. Corpo estriado. Disponível em: https://maestrovirtuale.com/corpo-estriado-anatomia-funcoes-e-doencas/ . Acesso em: 15 jul. 2023.

SINGH, Harpreet; KATARIA, Pavita; KAUR SHERGILL, Davinderjit. Emotional Intelligence and Emotional quotient: A Researcher’s Perspective. IJRPR. 2021, p. 160-162. Disponível em: http://www.ijrpr.com/ . Acesso em: 15 jul. 2023.

WAIDER, Jonas et al. Serotonin Deficiency Increases Context-Dependent Fear Learning Through Modulation of Hippocampal Activity. Frontiers in Neuroscience. 2022. Disponível em: https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fnins.2019.00245/full. Acesso em: 16 dez. 2022.

Descargas

Publicado

2024-06-13

Cómo citar

Agrela Rodrigues, F. de A. . (2024). O Medo Do Novo E A Relação Com A Inteligência Fear Of The New And The Relationship With Intelligence El Miedo A Lo Nuevo Y La Relación Con La Inteligencia. Revista Boaciencia. Salud Y Medio Ambiente, 4(1), 32–42. https://doi.org/10.59801/sma.v4i1.231

Número

Sección

Artículos

Artículos más leídos del mismo autor/a